Festival 
Músicas Brasileiras
 
Todas as músicas deste site têm seus direitos autorais garantidos para seus autores e intérpretes e estão aqui apenas para avaliação e entretenimento, não sendo possível copiá-las. Nenhuma recompensa financeira é obtida pelo proprietário do site ou de quem aloca este espaço. Por favor apoie o artista e compre seu disco, se você gostar da música. Não será aceita qualquer responsabilidade legal pelo uso indevido destas páginas e suas músicas  por pessoas não autorizadas por quem de direito.
 
The full length songs on these sites are copyrighted by the respective artist and are placed here for entertainment and evaluation purposes. No profits are made for this site from their use. Please support these artists and purchase their music if you like it. I accept no legal liability for misuse by others of any of these selections as in regard to any and all copyrights which may or not be applied to any selection contained within these pages.
 
 
A Década de 90
 Ele liga pra ela e deixa gravada uma música, na secretária eletrônica :
"Bem que se quis, depois de tudo ainda ser feliz,
mas já não há caminhos pra voltar.
E o que é que a vida fez da minha vida?
O que é que a gente não faz por amor? "
Os tempos mudaram, a eletrônica já faz parte das nossa vidas.O Computador passa a ser parte do nosso dia a dia, quer seja no trabalho ou em casa.
Mudaram os conceitos, o gosto musical e grandes ídolos  da MPB quase pararam .Foi quando ocuparam seus lugares outros ritmos como o pagode, a música sertaneja, o olodum, o aché, lambada  etc...
Em 90 não existem mais os ideais políticos que nossos jovens tanto lutaram nas décadas  de  70 e 80, mas a música continua  com mais alegria, mais jocosas nos sambas e nos pagodinhos .
Esta foi uma década  de grandes reuniões  caseiras e em barzinhos  ou batendo samba em mesa no fundo do  quintal, com muita alegria .
Marilene
 

 
 
  As Loucuras de uma Paixão(1997)

Vê se me erra(1992)

Devagar...Devagarinho(1995)

Dois (1997)

A canção tocou na hora errada(1999)

Mal Acostumado(1998)

Paratodos(1993)

Espanhola(1999)

Partituras(1995)

Sonhos(1994)

Tem coisas que a gente não tira do coração(1996)

Chama da Paixão(1994)

Sol de Primavera(1994)

Lenha (1999)

Mulheres(1998)

SE (1992)

Lembra de mim (1995)

Se eu não te amasse tanto assim(1999)

Saudade (1998)

Frente a frente (1995)

No Compasso do criador(1996)

Nossa guerra santa(1996)

Verdade (1996)

 

  Beija eu (1991)

O Canto da Cidade(1992)

Nobre Vagabundo(1996)

Recado(1990)

Encontro das Águas(1993)

Sozinho(1999)

Ta na Cara(1998)

Resposta ao Tempo(1998)

Ainda lembro(1994)

Nuvens(1995)

Dez a Um(1997)

Bem Querer(1998)

Caça e Caçador(1997)

Alma Gêmea(1995)

Quem é Você(1995)

Maré de Emoção (1998)

Tocando em frente (1990)

Pantanal (1990)

Lua e flor(1999)

Espumas ao vento (1997)

Ciranda da rosa vermelha (1997)

Eu nunca amei alguém como eu te amei(1994)

 

O Voltar está logo após este interessante texto sobre os anos 90

Anos 90

Tivemos nos anos 90 a continuação e afirmação da música brega, retratando a decadência social e cultural do nosso povo, manipulada pela ditadura da imensa cadeia de rádios FM e AM pertencentes em sua quase totalidade a deputados e senadores em todo o país, pois evidentemente é muito mais fácil manipular e ganhar votos do povo ignorante; e a música tem contribuído para isso; prevalecem as duplas e conjuntos “breganejos” vendendo milhões de CD’s e DVD’s, iludindo culturalmente o povo e dando enormes lucros às gravadoras e donos das rádios e TV’s. Tentar melhorar o nível cultural do povo interessa a muito pouca gente; apenas algumas poucas TV’s e rádios como a Cultura em São Paulo e TVE no Rio, procuram manter um nível razoável de programação, mas com baixíssima audiência; apenas os lucros imediatos interessam e têm valor para as agências de publicidade e patrocinadores; a mídia impressa e televisiva preocupa-se muito mais em mostrar as “fofocas” dos artistas, explorando suas vidas amorosas e exibindo fotos sensuais das artistas. Prevalecem os programas de auditório explorando as desgraças e incentivando os sentimentos lúdicos de nosso povo. Nossas escolas em todos os níveis continuaram a crescer em quantidade e a decair em qualidade. Toda essa improbidade de nossas elites política, cultural, educacional e social tem um preço alto que está sendo pago por todos nós.Talento e criatividade continuaram a existir mas prevaleceram interesses comerciais da mídia e das gravadoras, direcionando todo esforço mercadológico para músicas de fácil consumo, de baixa qualidade artística, objetivando atingir a imensa massa ignorante e pouco exigente da população.Os poucos compositores e cantores de bom nível foram massacrados pela imensa maioria de medíocres, prestigiados pelas gravadoras e mídia.Assim como nos anos 70 e 80 surgiram no Brasil vários grupos de rock, formados por jovens originários da classe média, com objetivos muito mais comerciais que artísticos, nos anos 90 surgiram grupos de “pagode” e de “funk” formados por jovens de classes menos abastadas, sem meios de sobrevivência decente, com pouquíssima cultura musical e cujos objetivos eram sucesso artístico e comercial; alguns até o conseguiram, apesar de medíocres.Os autênticos artistas da MPB tiveram muito pouco espaço nos anos 90: Caetano Veloso, Gal Costa, Maria Bethânia, Simone, Beth Carvalho, Alcione, Chico Buarque, Toquinho, Ivan Lins, Martinho da Vila, Djavan, Joanna, Paulinho da Viola e outros continuaram suas carreiras, porém com  pouco espaço na mídia. Entre os novos valores, poucos puderam aparecer como Marisa Monte, Daniela Mercuri, Zélia Duncan.Prevaleceram nos anos 90, por terem mais espaço na mídia, as duplas “breganejas” e os conjuntos de “pagode e funk” de baixíssima qualidade artística com dois ou três “cantores” e duas ou mais “bailarinas” semi-nuas.Empobreceu e mediocrizou-se mais ainda a Música Popular Brasileira durante os Anos 90.

Dárcio Fragoso

 Bibliografia consultada:


- ALBIN, Ricardo Cravo. O livro de ouro da MPB - A História de nossa música popular de sua origem até hoje. Rio de Janeiro : Ediouro, 2003.
- CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro : Lumiar Editora, 1993.
- VASCONCELOS, Ary. Panorama da música popular brasileira. Rio de Janeiro : Martins, 1965.
- MÀXIMO, João e DIDIER, Carlos. Noel Rosa : Uma biografia. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1990.
- Enciclopédia da música popular, erudita e folclórica. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1998.
- SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. São Paulo : Editora 34, 1997.
- http://www.dicionariompb.com.br
- http://cifrantiga3.blogspot.com/
- http://cliquemusic.uol.com.br

http://www.boemio.com.br

 

Importante:
Resgatar e preservar as músicas populares brasileiras é nosso objetivo. Através da internet estamos propiciando a todas as pessoas, em qualquer lugar do mundo, o acesso às belíssimas músicas, muitas delas relegadas ao esquecimento.
Música Popular Brasileira é um dos aspectos mais ricos e importantes da cultura brasileira, retratando costumes, idéias e valores de cada época.
Nosso único compromisso é com os compositores, cantores e suas obras.
Não temos nenhum objetivo comercial e financeiro; as imagens, músicas e suas  letras  são obtidos nos diversos sites da  internet; nosso trabalho é puramente de pesquisa e a seleção das músicas são escolhidas e  julgadas por nós as mais significativas em cada década.
Numa primeira etapa incluímos algumas composições em suas respectivas décadas de lançamento, mas pretendemos continuar incluindo outras músicas porventura ainda não incluídas, num trabalho contínuo e de longo prazo.