Águas de Março 
(1972)
 
Samba
 
Letra e música: Tom Jobim
 
Águas de março é uma das mais representativas composições da obra de Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim; foi seu último grande sucesso como compositor e letrista; lançada inicialmente em compacto simples encartado no semanário "O Pasquim" em 1972, seria posteriormente gravada em dueto com Elis Regina e o próprio Tom, no célebre disco "Elis & Tom" gravado em Los Angeles, EUA em 1974.
Tom Jobim foi o mais famoso, mais talentoso e mais respeitado compositor brasileiro da segunda metade do século XX, dentro e fora do Brasil; autor de aproximadamente 300 músicas, solo e com diversos parceiros entre os quais: Vinícius de Moraes, Newton Mendonça, Billy Blanco, Chico Buarque de Hollanda, Aloysio de Oliveira, Luiz Bonfá, Dolores Duran, Marino Pinto, Paulo Cesar Pinheiro, Paulo Soledade, Ronaldo Bastos.
Tom nasceu no Rio de Janeiro em 25/01/1927, iniciou seus estudos musicais em 1941; cursou a Faculdade de Arquitetura chegando mesmo a exercer a profissão por pouco tempo mas sua grande paixão foi sempre a música.
Morreu em Nova Yorque em 8/12/1994 com 67 anos.
 
Pesquisa : Darcio
 
 
 
Águas de Março
( 1972) 
Samba
 
Letra e música: Tom Jobim
 
 
 
É pau, é pedra, é o fim do caminho,
É um resto de toco, é um pouco sozinho,
É um caco de vidro, é a vida, é o sol,
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol.
 
É peroba no campo, é o nó da madeira,
Caingá candeia, é o matita-pereira,
É madeira de vento, tombo da ribanceira,
É o mistério profundo, é o queira ou não queira.
 
É o vento ventando, é o fim da ladeira,
É a viga, é o vão, festa da cumeeira,
É a chuva chovendo, é conversa ribeira,
Das águas de março, é o fim da canseira.
 
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira,
Passarinho na mão, pedra de atiradeira,
É uma ave no céu, é uma ave no chão,
É um regato, é; uma fonte, é um pedaço de pão.
 
É o fundo do poço, é o fim do caminho,
No rosto um desgosto, é um pouco sozinho,
É um estepe, é um prego, é uma conta, é um conto,
É um pingo pingando, é uma conta, é um ponto.
 
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando,
É a luz da manha, é o tijolo chegando,
É a lenha, é o dia, é o fim da picada,
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada,
É o projeto da casa, é o corpo na cama,
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama.
 
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã,
É um resto de mato, na luz da manhã,
São as águas de março fechando o verão,
É a promessa de vida no teu coração.
 
É uma cobra, é um pau, é João, é José,
É um espinho na mão, é um corte no pé,
São as águas de março fechando o verão,
É a promessa de vida no teu coração,
É pau, é pedra, é o fim do caminho,
É um resto de toco, é um pouco sozinho.
 
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã....
 
 
Música: Aguas de Março
Autoria Letra e Música : Tom Jobim
Interpretação: Elis Regina e Tom
 
 
Pesquisas e História por Dárcio Fragoso
Imagens por Francys Dejtiar
Projeto ,Formatação e Edição Final : Marilene Laurelli Cypriano
 
Para enviar a um amigo clique no coração
e siga as instruções
 
|Principal Menu |Fale comigo | Voltar |
Direitos autorais registrados®
 
Página melhor visualizada
em Internet Explorer 4.0 ou Superior
800x600
 
 
 
 
 
 

 

 The songs on this site are copyrighted by their respective
artists and are placed here for evaluation purposes only.
No profits are made on this site from their use.

Todas as musicas deste site tem os seus direitos autorais assegurados e
estão colocadas neste site para avaliação somente.
Este site tem um unico proposito: entretenimento e nenhuma recompensa financeira é
obtida pelo proprietário do site e/ou daquele que aloca este espaço.

Direitos Autorais Reservados ®
 

* Campanha pelos Direitos Autorais na Internet *